Patologia na Construção Civil

A patologia é o estudo das partes que compõem o diagnóstico de um problema em uma obra durante sua vida útil, que é o período durante a qual a estrutura conserva todas as características mínimas de funcionalidade, resistência e aspectos externos. Por exemplo, as estruturas de concreto armado devem ser projetadas e construídas de forma que, sob condições ambientais normais, elas se mantenham seguras, funcionais e com aparência saudável sem a necessidade de altos custos de manutenção e reparo. É essencial que essas estruturas desempenhem as funções que lhe foram atribuídas e que mantenham a resistência e a utilidade durante um determinado período de tempo.

Patologias – Causas e origens

A maioria das patológicos têm suas origens em falhas que ocorrem durante a realização de uma ou mais etapas da construção civil, seja no planejamento, na  execução ou na utilização. Um planejamento detalhado e a qualidade da mão de obras e dos produtos têm papel fundamental no resultado final e, principalmente, no controle da incidência de manifestações patológicas na edificação em fase de uso. Diversas pesquisas realizadas mostraram que a origem das falhas reside em quatro pontos principais:

 

 

Gráfico de Causas de Patologias na Construção Civil – Fonte: Estudo monografia UFRJ – AGOSTO/2013 – DANIEL FERREIRA OLIVEIRA

  • Falhas de Projetos;
  • Falhas de execução;
  • Baixa qualidade dos materiais empregados;
  • Má utilização do bem.

De um modo geral, as patologias não têm sua origem concentrada em fatores isolados, por isso pontos importantes devem ser observados para o aumento da durabilidade e prolongamento da vida útil das edificações. Veja alguns deles:

  • Impermeabilização – A presença de água pode causar a deterioração de materiais e componentes. Além disso, infiltrações favorecem o surgimento de bolor, mofo e descolamento de revestimentos, entre outros.
  • Sistemas Hidráulicos Prediais – A indicação das medidas mínimas de inspeção e manutenção preventiva garantem a durabilidade de materiais e componentes da edificação e assegurem a vida útil projetada.
  • Correta especificação dos materiais – Problemas originados pela falta de qualidade dos materiais e componentes, falta de rigor dimensional e baixa resistência mecânica são muito comuns.
  • Controle de qualidade na seleção, aquisição, recebimento e aplicação dos materiais.
  • Qualificação da mão de obra – Profissionais preparados para executar as atividades. Etapas mal realizadas do processo por exemplo falta  de compactação que gera trincas e rachaduras e a preparação de argamassas com aditivos, ou emprego de forma errada da mesma.

O uso e ocupação de uma edificação inclui, em sua operação, atividades de manutenção realizadas durante sua vida útil, que por serem repetitivas e cíclicas, necessitam que se implante um programa de manutenção. A utilização errônea ou a falta desse procedimento pode gerar diversos problemas patológicos, como falta ou manutenção inadequada de áreas e equipamentos por desconhecimento técnico, incompetência, desleixo ou problemas econômicos; ausência de limpeza e impermeabilização de lajes, marquises, piscinas, playground, etc. que, se não forem feitas regularmente, possibilitarão a infiltração de águas de chuva e o entupimento de ralos. Um guia detalhado e simples contendo ações previsíveis pode aumentar a vida útil das edificações e garantir um aproveitamento adequado das suas instalações e equipamentos.

 

 

As boas práticas evitam as patologias

Exercer boas práticas na construção civil é evitar dores de cabeça com problemas na construção. Em minha construtora empregamos os checklists do sistema m2obras, que auxilia no planejamento das atividades, controle e execução. Facilitamos seu planejamento e a gestão da sua obra. Adote parâmetros e padrões para sua construtora e evite patologias.